15/05/10

Tu és assim uma espécie de rapaz capaz de grandes tropelias que esconde a idade atrás da cara de menino que ainda não perdeste, apesar de todas as marcas que foste herdando dos dias,a tua infância foi guardada numa caixa escondida debaixo da cama, a adolescência guardada nos copos e das drogas leves que conseguiste abandonar, um dos teus melhores amigos roubou-te a miúda de quem gostavas no verão em que fizeste os teus 16 anos, a primeira vez que andaste à pancada com medo do outro ser mais forte e de se rirem de ti, a vontade de sair de casa e não voltar,nao dar noticias a ninguém e abraçar o mundo, e depois a solidão repartia-se entre as mulheres e entre tudo o que desejas-te e nunca tiveste.

Depois cresceste, começaste a trabalhar, a usar fato e gravata quando era preciso e agora, todas as manhãs, ao espelho, perguntas à tua imagem quem és tu afinal? a trabalhar numa cidade que não é tua, nem de ninguém, ao ires para longe,esqueceste-te de quem te ama de verdade e de quem te quer bem.
Da mesma forma que já perdeste uma ou duas mulheres que não soubeste ou não quiseste amar da forma certa, aquela que faz com que as pessoas continuem juntas pela vida...
E perguntas à tua imagem onde vês um homem, menos belo e menos inteligente,menos sensivel do que na realidade és, tu olhas, tu andas-te a questionar, se és tu que a vais escolher, quando já foi ela que já te escolheu e só te está a dar a ilusão que és tu que mandas nas tua vida.
Ao espelho, onde vês o reflexo entre o rapaz que és e aquele que gostarias de ser, respiras fundo e desejas que essa mulher chegue um dia, mas não demasiado cedo para te deixar com medo, nem demasiado tarde porque entretanto pode aparecer outra e tu vais deixar-te ir como sempre, convencido que é essa, e não eu a mulher da tua vida.
concluindo o que tu não sabes, é que do outro lado do espelho eu te vigio e por mais merda que faças,e digas eu estou contigo, como se fosse o teu avesso e te protejo, como se fosse o teu presente, e te desejo, como se pudesse ser o teu futuro.
Mas é ainda demasiado cedo, é ainda tempo de guardar no silêncio dos dias a vontade de te querer.
É ainda de manhã e tu estás atrasado para o trabalho e eu estou adiantada na tua vida, por isso respiro fundo do outro lado da tua imagem e espero, sentada, no outro lado do passeio,mesmo à tua frente, para que não me vejas, no outro lado da tua vida que está pendente,que um dia dês o salto para o outro lado da rua, para o outro lado da tua vida e sejas quem sempre sonhaste para que te vejas ao espelho como eu já te vejo, como tu és, um homem forte que vai conseguir ter um sucesso enorme,mas ainda vais sentir muito a minha falta...
(este texto não tem destinário.)

18 comentários:

  1. não sei se é bem assim :')

    ResponderEliminar
  2. Gosto, senão não o dizia Carolina (:

    ResponderEliminar
  3. Depois de tudo? :o
    Muito obrigada C*

    ResponderEliminar
  4. Nem tudo se vai carolina, nem tudo! $:
    Amo-te baby

    ResponderEliminar
  5. Não te reconheço carolina.

    ResponderEliminar
  6. Posso mostrar que sou forte, que não quero saber de nada, mas na verdade quero e muito $: tu sabes bem minha.
    Também sabes que eu estou aqui para tudo, para voltar afastar-te da "escolha" errada, tou aqui para tudo!
    Amo-te

    ResponderEliminar
  7. Não, não te reconheço, mudaste muito, demais!

    ResponderEliminar
  8. LOOL, lamento muito que tenham conhecido a falsidade, apesar de ela já fazer parte do teu mundo à muito tempo, mas quem te tenta abrir os olhos é quem morre para ti. E não, tu não te tornaste mais forte carolina, a única coisa que tu fizeste foi fugir e virar as costas aos problemas, isso não é vencer nem tornaste mais forte, é ser cobarde. Os nossos pés não pisam a mesma rua, porque os meus estão bem assentes na realidade, e os teus? Desculpa lá, a sinceridade!

    ResponderEliminar
  9. eu sei meu amor, e agradeço-te por isso, acredita!
    ly baby.

    ResponderEliminar
  10. Uma indirecta para te chamar falsa? Não, nada disso, se tivesse que o fazer chamar-te-ia falsa agora mesmo, mas não tenho necessidade de o fazer, porque para mim, é cagativo. Sinceramente carolina, agora tu dás-me pena, das-me mesmo, mas nem sequer vou abrir a boca, não quero que fiques mal perante aqueles que tu achas que gostam de ti. Mas tenho mesmo pena. Poeira? Só mesmo aquela que te está a tapar os olhos, porque de resto, não vejo nada de mais, é muito paleio, mas é da boca pra fora. Sim, realmente andas a emprenhar demais pelos ouvidos, ou talvez não, mas de uma coisa eu tenho a certeza, um dia quando a poeira assentar, alguém se vai ficar a rir, e eu vou estar na primeira fila a assistir ao gozo!

    ResponderEliminar
  11. Não carolina, quem se esqueceu de quem esteve lá desde o inicio, desde quando todos te usavam e gozavam, tu é que te esqueceste dessas pessoas, de quem sempre esteve do teu lado! E agora, só porque te deu na cabeça, começas com merdas, só queres armar confusões, armar-te em grande e forte, e cagar naqueles que sempre te quiseram bem. E não, eu não me esqueci de nenhum momento, como disse, foste tu quem esqueceu, eu apenas esqueci-me de te lembrar. Mas sinceramente, é verdade, tô nem ai. E quando chegar aquela altura em que olhares à tua volta e perceberes que estavas errada, não me venhas pedir desculpas.

    ResponderEliminar
  12. Eu não estou aqui para te julgar e muito menos para te dar lições de moral, disse que estas diferente e é verdade, para mim estas. E acredita que grande parte do respeito e do orgulho que sentia por ti foi-se, mas não te desejo mal, tu sabes bem disso, sempre quis o teu bem, acho que estas a agir mal e tinha de tu dizer, agora não fazeres o que te digo e não falares comigo sobre isso, são opções tuas. Não tenho mais nada a dizer-te, a partir daqui, faz o que te der na cabeça!

    ResponderEliminar
  13. ainda bem que o achas então :p

    ResponderEliminar